quinta-feira, 17 de janeiro de 2013

Papel em branco...


Quinta feira calma, de chuva; dia não nublado, apenas nublado. Agora ouvindo Erasmo Carlos "FILHO ÚNICO". Bem apropriado. Nem sempre é o único. Mas o dia está bonito. Convidativo. Se eu fosse vc eu sairia pra dar uma volta. Está bombando fazer negociatas com a vida, nesse dia, hoje. 

Pois sou seu único filho, eu, o dia de hoje, e eu te digo, como teu filho único: "Quem está na chuva tem que se molhar. Diz ele, o filho único, que com o tempo a gente se acostuma. Eu que sempre só me acostumo a não me acostumar. Nos meus planos estará exatamente o q? ou Quem?

Não vou começar pela peça, talvez comece com um blog. Mas é preciso voltar aos circuitos fechados de academias, gente bonita e gostosa caminhando para lá e para k, e as vezes olhando muito pra mim. O menino trouxe o papel em branco...

3 comentários:

Milene Lima disse...

Adoro papéis em branco. Nem sempre consigo dizer neles coisa que preste, mas sigo tentando.

Isso aí, menino!
Abraços.

Barbie Californiana disse...

Com boa imaginação, é possível se fazer muita coisa em um papel em branco, principalmente, em dias de chuva. abraços.

EDER RIBEIRO disse...

Oi Frank, bom dia.
Então aproveitamos o papel em branco, escrevendou ou embrulhando letras.
Abçs e bom finde.